RESULTADOS

RESULTADOS

O CIAC continuou a orientar a sua atividade para a investigação, a prática e a formação, no campo das artes e da comunicação, garantindo que a investigação é pensada com e para a sociedade.

Em 2021, o Centro organizou diferentes eventos científicos na área das artes e da comunicação, dos quais são exemplo: o Ciclo de Artes Visuais (março, abril e maio); as exposições “Alvará” (abril), “Da Terra à Lua, a Pé” (junho), “1907-1914: a primeira era de ouro do cinema francês na coleção de cartazes do Museu Municipal de Faro” (julho) e “You Want It Darker” (novembro); o ciclo de conferências “Políticas de Língua e de Comunicação” (abril) e a “V Conferência Ética nas Organizações” (dezembro); o “Encontro “Expressões com Som e Imagem” (abril); o simpósio “Literatura & Turismo: museificação e comunicação dos lugares dos escritores” (abril); o webinar “Arte e Empreendedorismo” (outubro); e os seminários “O professor digital: experiências de um projeto de utilização de ferramentas digitais em sala de aula” (outubro), “O cinema das origens e a coleção de cartazes do Museu Municipal de Faro” (novembro), “Storytelling na comunicacional organizacional” (novembro), “Comunicação, linguística e encontros interculturais” e “Semiótica e Cultura Visual” (dezembro).

De destacar, ainda, a organização das “XV Jornadas de Investigação CIAC” (julho), um evento que reuniu, em formato online, investigadores para a partilha, problematização e discussão de metodologias e conceitos. A edição deste ano dedicou o seu programa à diversidade geográfica do Centro e contou com a apresentação de projetos dos pólos CIAC (UAlg, ESTC-IPL, UAb, IPSantarém e ISMAI) e intervenções internacionais, que espelharam a multiplicidade de estadias investigacionais que o CIAC acolhe anualmente e que contribuem para o alargamento e dinamismo das redes de trabalho do Centro.

O CIAC continuou a promover a publicação de obras sobre os resultados de investigação produzidos no Centro. Em dezembro de 2021, foi publicado o quarto volume da coleção ensaística “Humanitas”, intitulado “Comunicação Audiovisual: o comboio do amor”, da autoria de Bruno Mendes da Silva. Através da análise de alguns momentos específicos da história do cinema, esta obra explora os conceitos mais relevantes da linguagem audiovisual, recorrendo a uma metáfora: o comboio do amor. A predominância da linguagem audiovisual na comunicação contemporânea é incontornável e, por isso, torna-se imperativo o seu domínio conceptual, estético, formal e técnico.

Para além disso, a produção de conteúdos de divulgação artística e científica manteve-se, nomeadamente através da iniciativa “CIAC Talks”, que se assume como um produto audiovisual de entrevistas a investigadores, professores e artistas (nacionais e internacionais); e da “ROTURA – Revista de Comunicação, Cultura e Artes”, que, em 2021, contou com a publicação de dois números: “Filme e Videojogo” (1º semestre) e “Processos de Criação” (2º semestre). O número 1 acolheu artigos de investigação relacionados com tecnologia, filme e videojogos; estética e produção audiovisual; videoarte e art game; média digital e interatividade; história do cinema/videojogo. Já o número 2, centrou-se na teoria da criação; nas interações entre artes e comunicação; poéticas contemporâneas; materialidades da criação; criação e receção.

Em 2021, o grupo de investigação “Literatura e Turismo” do CIAC criou a “LIT&TOUR: International Journal of Literature and Tourism Research” (IJLTR), uma revista científica com um regime de publicação contínua, que terá a sua primeira publicação no 2º semestre de 2022.

Foram desenvolvidos alguns projetos, nomeadamente o “Entre Planos” – substituto do projeto “Primeiro Plano: o espectador em construção” (2020) –, que se enquadra na área da literacia fílmica, cinematográfica e audiovisual entre o público infanto-juvenil. Concebido enquanto uma plataforma interinstitucional, “Entre Planos” envolve diversos parceiros nacionais e internacionais.

“Academia da Leitura do Mundo: o jornalismo, a comunicação e eu” é um outro projeto que conta o CIAC como parceiro. Integrando a rede nacional das Academias Gulbenkian do Conhecimento e através de uma experiência imersiva no mundo da comunicação social, este projeto pretende dotar os jovens entre os 14 e os 25 anos de ferramentas para descodificar as notícias, questionar o consumo passivo de informação e estimular uma postura crítica e construtiva adequada aos desafios da cultura noticiosa e mediática contemporânea.

O Pólo Literacia Digital e Inclusão Social do CIAC, criado em 2020 e sediado no IPSantarém, desenvolve atividades na área da Literacia Digital e Inclusão de Pessoas Desfavorecidas no Mercado de Trabalho, respondendo assim aos desafios da sociedade nestes campos de atividade. “Cenários de Inovação – Diversidade, Inclusão e Acessibilidade em EaD” (maio) e “Digital Literacy for the Labor Market Inclusion – Starting Up Multiplier Event” (junho) são dois exemplos de eventos promovidos por este Pólo em 2021. A internacionalização é, também, uma das suas prioridades e daí a sua participação nos projetos “EduApp” e “Talent”, cofinanciados pelo Erasmus+.

Através do Doutoramento em Média-Arte Digital (DMAD), que funciona em associação entre a Universidade Aberta (UAb) e a Universidade do Algarve (UAlg), o CIAC atraiu novos colaboradores. O Pólo CIAC-UAb está profundamente relacionado com o DMAD e promove atividades regulares que acolhem o trabalho artístico e científico dos estudantes desse doutoramento. O Retiro do DMAD é uma atividade fulcral e, em 2021, foi adaptado ao formato online (devido à pandemia). Integrado no programa das “XV Jornadas do CIAC” (julho), este evento contou com apresentações de palestras e de artefactos de média-arte digital.

O Pólo CIAC-UAb colabora, também, na organização de conferências, destacando-se, este ano, a conferência internacional “ARTECH” (outubro), que decorreu em modo híbrido, mas com forte participação presencial, no Centro de Congressos de Aveiro. Este tipo de conferência é, frequentemente, a primeira experiência dos estudantes de doutoramento em eventos internacionais e/ou em publicações indexadas. A “ARTECH” que contempla a vertente de instalações/artefactos digitais e a submissão de posters/papers curtos referentes a essas mesmas instalações, permitindo assim uma integração relativamente rara entre publicação científica e prática artística. De referir, ainda, os projetos com o envolvimento do Pólo CIAC-UAb, que se encontram em desenvolvimento: “Erasmus+ IDEAS – Innovative Digital Education and Skills”, “Erasmus+ 4ArtPreneur – Innovative thinking competences for creative art entrepreneurship”, “Cultural Adventures”, “TIS – Teatro de Inclusão Social” e “Nutrimovere”.

O ano de 2021, ainda muito afetado pela conjuntura pandémica, corresponde à consolidação das linhas de atuação do Pólo do CIAC, no Instituto Politécnico de Lisboa. A entrada de um novo membro do Departamento de Cinema reforçou o núcleo de investigação e criação aplicada no domínio das Performatividades, que se constitui como conceito agregador das atividades do Pólo. Este ano, as atividades desenvolvidas centraram-se em três vertentes fundamentais: produção de bibliografia crítica sobre tópicos que cruzam literatura, artes performativas e da imagem em movimento; criação dramatúrgica para espetáculos de teatro (textos estreados e/ou traduzidos e publicados); criação cénica (direção e/ou interpretação em teatro/música/performance).

Durante este período, e apesar dos constrangimentos que a pandemia provocou, o CIAC continuou a apostar no fortalecimento das relações com entidades locais e no desenvolvimento de redes e parcerias (locais, regionais e internacionais). De referir, por exemplo, o apoio do Centro na curadoria/programação da Galeria Trem (Faro), a relação de parceria com o MuseuZer0 (Tavira), a iniciativa Open Studios (Faro), o BoCA – Bienal de Artes Contemporâneas e a conferência internacional ICOAH.

Um dos objetivos do CIAC passa por favorecer a divulgação artística e científica, desenvolvendo projetos e inserindo ações no tecido nacional e internacional para promover o debate de ideias, a troca de conhecimento e a produção de novos saberes.

O ciclo de seminários “Invitro” (maio-junho) e a exposição “Entre Tecidos” (setembro) são dois exemplos de atividades levadas a cabo, em 2021, no âmbito do projeto “Invitro”. Trata-se de uma iniciativa na área das artes digitais e do pensamento e práticas transdisciplinares, que procura acolher, promover e capacitar artistas, investigadores e audiências.

As parcerias internacionais continuaram a ser alimentadas, nomeadamente através do projeto europeu “Play Your Role: Gamification Against Hate Speech”. De referir que o projeto envolve instituições como Società Cooperativa Sociale Zaffiria (Itália), COSPE – Cooperazione per lo Sviluppo dei Paesi Emergenti ONLUS (Itália), VsI Edukaciniai Projektai (Lituânia), JFF – Institute for Media Education (Alemanha), Fundacja Nowoczesna Polska (Polónia) e Savoir Devenir (França). “Play Your Role” utiliza o forte potencial e atratividade dos videojogos para criar espaços de diálogo e desenvolver o pensamento crítico dos jovens, na luta contra o discurso de ódio online. O CIAC participou no encontro internacional “Play Your role: Gamification against hate speech” (maio); dinamizou o workshop “Play Your Role – Gamification Against Hate Speech” (maio) na sessão “Academia da Leitura do Mundo: o jornalismo, a comunicação e eu”, da iniciativa “Academias Gulbenkian do Conhecimento”; e marcou presença na conferência plenária “Games Against Hate Speech” (setembro), incluída no evento de encerramento do projeto. Ao longo do ano, foram publicados artigos sobre os resultados/conclusões do projeto (nomeadamente, em publicações internacionais como a “Revista Húmus”).

Para além disso, através do acolhimento de estâncias de investigação (sobretudo de investigadores provenientes de Espanha e Brasil), sob a supervisão dos membros do CIAC, continuaram a desenvolver-se parcerias e redes internacionais. Destas estâncias, ainda que algumas tivessem sido adiadas pela pandemia, resultaram seminários e publicações sobre as áreas de atuação do Centro (nomeadamente sobre cultura digital, literacia digital transdisciplinar, produção audiovisual, conteúdos e formatos audiovisuais).

De referir a participação do CIAC no Conselho Europeu de Línguas (CEL), uma associação de Universidades, centros de língua e profissionais na área das línguas que tem estruturado e coordenado projetos europeus e que se institui como plataforma de ligação com organismos europeus e outras associações/alianças. A envolvência do Centro contribuiu para a construção de uma rede de trabalho, com articulação internacional, direcionada para a terminologia científica e a comunicação de ciência.

De notar também a sua envolvência em outro tipo de projetos internacionais como o LISTiac (Linguistically Sensitive Teaching in All Classrooms), que pretende contribuir para uma mudança na cognição, formação e desenvolvimento profissional dos professores. Outro exemplo é o projeto TE-Con3 (Teaching English as Content in Tertiary Education), com o objetivo de desenvolver uma metodologia inovadora para o ensino de Inglês no Ensino Superior, com base numa sequência de módulos ajustados à complexidade da linguagem e à gramaticalidade de diferentes áreas académicas. Por último, o projeto Erasmus + ICFAL (Institutionnalisation des Centres de Formation par ALternance aux Universités Marocaines), que visa o desenvolvimento de ciclos de estudos e formações em contexto de trabalho, em consonância com as necessidades de desenvolvimento económico e social de Marrocos.

Destacam-se, ainda, algumas das atividades que contribuíram para o alargamento das relações internacionais do Centro: as palestras “A xustificación do traductor na era da tecnoloxía”, “A importancia da tradución nas linguas periféricas: o caso do galego” (maio) e “O mosaico das linguas: Sociedade e linguas en Galicia” (dezembro), promovidas pelo Centro de Estudos Galegos e apoiadas pelo CIAC; os seminários “Las variedades meridionales del Español: reflexiones para el estudio de la modalidad lingüística andaluza” (maio), “Buscar las Historias (ficción y realidad)” (junho) e “Les Mathématiques sont aussi des faits de langue(s). Comment comptons-nous dans nos langues?” (julho), organizado em parceria com o Institut de Recherche sur l’Enseignement des Mathématiques – IREM (Universidade de Paris); a “Internacional Conference on Arts and Humanities – ICOAH” (setembro), com a participação de Bruno Mendes da Silva no Painel de Avaliação de sessões técnicas; a conferência internacional “The Linguistic, Educational and Intercultural Research – LEIC Research 2021” (outubro), que contou com o investigador Manuel Célio Conceição como orador convidado; entre outras.

Em 2021, o CIAC participou também no 2º Comité de Direção do projeto “iHeritage” (julho) e avançou com a criação do seu website. O “iHeritage” procura consolidar o acesso ao património cultural Mediterrâneo da UNESCO, através de experiências de realidade aumentada e imersiva, com a criação de living labs direcionados para a pesquisa e o desenvolvimento. A plataforma mediterrânea TIC iHERITAGE para o património cultural da UNESCO é um projeto estratégico cofinanciado pelo Programa da Bacia do Mar Mediterrâneo ENI CBC da União Europeia, que conta com a participação de seis países: Itália, Egito, Espanha, Jordânia, Portugal e Líbano.

Outra plataforma que continuou a ser desenvolvida em 2021 está relacionada com a coleção “Processos de Criação”, um projeto que nasce do intercâmbio entre o CIAC-UAlg e o Grupo de Pesquisa em Processos de Criação da PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Brasil). Os livros da coleção ressaltam a importância dos processos de criação; exploram os arquivos de criação, diluindo as fronteiras entre processo e obra; e resultam do olhar teórico da crítica de processo.

No âmbito da divulgação científica, mas também fruto de relações internacionais, surge o livro “The Forking Paths: Interactive Film and Media”, publicado em setembro de 2021. Este livro revisita historicamente, socialmente, pedagogicamente e esteticamente os últimos 50 anos de interatividade audiovisual. O projeto “The Forking Paths” teve início em 2013, quando um grupo de investigadores do Centro encetou um processo de investigação teórico-prático na área da interatividade fílmica e, desde então, foram escritas dezenas de publicações científicas e produzidas quatro experiências fílmicas interativas (que estiveram patentes em festivais internacionais de referência como o FILE (São Paulo, Brasil), ou o Script Road (Macau, China). Em 2021, juntaram-se aos investigadores do CIAC alguns dos maiores especialistas mundiais em filme e media interativos, resultando “The Forking Paths: Interactive Film and Media”. Descobrem-se, neste livro, apontamentos que parecem indiciar uma possível evolução na sintaxe audiovisual.

No último trimestre do ano, o CIAC lançou ainda um programa mensal de webinars – as “CIAC Webinars” –, direcionado para as áreas da cultura, das artes e da comunicação, com convidados internacionais. A primeira edição ocorreu em outubro com Nigel Power (artista, designer e académico britânico), sob o título “Re-rememberings: notes on the visual culture of post-coup Thailand (2014-2019)”); seguiu-se Adriana Nascimento (investigadora, professora e curadora brasileira) com “Poéticas Feministas em Corpo, Espaço e Tempo”, em novembro; e Tom McCarthy (escritor e artista visual britânico), que, em dezembro, apresentou a obra “The Making of Incarnation” (2021) e debruçou-se sobre o processo de criação e escrita.

Apesar do contexto pandémico, foi possível contribuir para a disseminação e expansão do conhecimento científico.

O CIAC continuou a orientar a sua atividade para a investigação, a prática e a formação, no campo das artes e da comunicação, garantindo que a investigação é pensada com e para a sociedade. É neste sentido que se mantém a aposta na criação de plataformas que favorecem a divulgação artística e científica, bem como o aprofundamento entre as artes e as tecnologias nos seus diversos aspetos.

Em 2020, o CIAC organizou diferentes eventos científicos na área das artes e da comunicação, dos quais são exemplo: as exposições “The eyes are not here” (fevereiro), “Zoom In” (novembro) e “The Getaway to the Stars” (novembro); o “Seminário Comunicação & Publicidade” (fevereiro); as palestras “Cinema Interativo” (março) e “Artistas da América Latina” (abril); os workshops de “Literatura e Cinema” e “Guionismo” (abril); a “Semana das Letras Galegas” (maio), o “Ciclo de Artes Visuais” (setembro-dezembro), o colóquio “As Mulheres nas Artes” (novembro), a “III Conferência Ética nas Organizações” (novembro), entre outros. De destacar, ainda, a organização das “XIV Jornadas de Investigação CIAC” (fevereiro), um evento que reuniu investigadores para a partilha, problematização e discussão de metodologias, conceitos e caminhos. A edição deste ano dedicou o seu programa à comunicação de ciência, arte, literacias e novos media e permitiu a disseminação dos resultados de projetos e trabalhos multidisciplinares em desenvolvimento no CIAC, junto da comunidade em geral. A comunicação de ciência é efetivamente uma das missões do CIAC e, nesse sentido, são dinamizadas atividades e eventos que permitam a produção e difusão do conhecimento científico nos campos de atuação do Centro.

Na mesma linha de difusão de conhecimento, o CIAC continuou a promover a publicação de obras sobre os resultados de investigação produzidos no Centro. Em 2020, foi publicado o terceiro volume da coleção ensaística “Humanitas”, sob o título “O Museu de Tudo em Qualquer Parte – Arte e Cultura Digital: inter-ferir e curar”. Trata-se de um contributo atual e aprofundado para o estudo da Média-Arte Digital, que apresenta uma metodologia inovadora, a a/r/cografia, enquanto ferramenta de registo e análise do processo criativo, para a produção de média-arte digital interventiva e funcional.

Para além disso, a produção de conteúdos de divulgação artística e científica manteve-se, nomeadamente através da iniciativa “CIAC Talks”, que se assume como um produto audiovisual de entrevistas a investigadores, professores e artistas (nacionais e internacionais). O website da “ROTURA – Revista de Comunicação, Cultura e Artes” ficou disponível em 2020 e, em julho, foi lançada a primeira chamada para a submissão de artigos de investigação nas áreas de filme e videojogo.

Foram executados alguns projetos, nomeadamente o “Primeiro Plano – o espectador em construção”, que tem por objetivo reunir projetos e iniciativas que desenvolvem o cinema para, com e através de crianças e jovens, no âmbito da educação. Concebido enquanto uma plataforma interinstitucional, o projeto tem em vista a criação de uma rede de iniciativas em cinema e educação em Portugal.

O CIAC criou ainda um polo de Literacia Digital e de Inclusão Social, no Instituto Politécnico de Santarém (IPS), onde apoiou o desenvolvimento do curso “Literacia Digital para o Mercado de Trabalho” (não conferente de grau), o primeiro modelo de formação e de educação inclusiva em contexto de ensino superior para deficiência intelectual. O objetivo é promover e facilitar a inclusão social, laboral e empregabilidade dos referidos jovens, através da sua capacitação e desenvolvimento de competências específicas em literacia digital ajustadas às necessidades do mercado de trabalho, com vista a construir um perfil profissional ajustado. Este polo encontra-se alinhado com uma rede de parceiros internacionais dedicados à temática da literacia digital, entre eles: Center for Social Innovation (Chipre); Grupo de Investigação Imágenes, Palabras e Ideas – GIPI (Espanha); Grupo de Pesquisas em Estudos de Linguagem, Libras, Educação Especial e a Distância e Tecnologias (Brasil); e Native Scientist (Reino Unido).

Através do Doutoramento em Média-Arte Digital (DMAD), que funciona em associação entre a Universidade Aberta (UAb) e a Universidade do Algarve (UAlg), o CIAC atraiu novos colaboradores. De notar que o polo CIAC-UAb está profundamente relacionado com o DMAD e promove atividades regulares que acolhem o trabalho artístico e científico dos estudantes desse doutoramento. O Retiro do DMAD é uma atividade fulcral, de carácter presencial, que reúne os estudantes do referido doutoramento, artistas e investigadores, e que tem impacto relevante sobre a sociedade, envolvendo usualmente entidades do poder local, galerias ou associações. Esta atividade, que decorreu em julho de 2020, foi adaptada para o formato online devido à pandemia e, recreando no contexto remoto as atividades fundamentais do Retiro, contou com apresentações de palestras e de artefactos digitais.

Para além disso, o polo CIAC-UAb colabora na organização regular de conferências, destacando-se, em 2020, a conferência internacional ARTeFACTo, que decorreu nos dias 26 e 27 de novembro, em Faro. Trata-se de um evento com crescente participação de autores internacionais, que contempla a vertente de instalações/artefactos digitais (que, de facto, são exibidos durante o evento) e a submissão de posters/papers curtos referentes a essas mesmas instalações, permitindo assim uma integração relativamente rara entre publicação científica e prática artística.

Destacam-se ainda os seguintes projetos do polo CIAC-UAb, em contínuo desenvolvimento: CHIC, SCReLProg, Cultural Adventures, Gender in Map, Erasmus+AIT, e ENPOWER.

O ano de 2020 corresponde também ao início de uma nova fase do polo do CIAC no Instituto Politécnico de Lisboa (IPL), com a entrada de três novos membros para reforçar o núcleo de investigação e criação aplicada no domínio das Performatividades, que se constitui como conceito agregador das atividades do polo. Neste ano, as atividades desenvolvidas centraram-se em três vertentes fundamentais: produção de bibliografia crítica sobre tópicos que cruzam literatura, artes performativas e da imagem em movimento; criação dramatúrgica para espetáculos de teatro (textos estreados ou distinguidos); e criação cénica (direção e/ou interpretação em teatro/música/performance).

Durante este período, e apesar dos constrangimentos que a pandemia provocou, o CIAC continuou a apostar no fortalecimento das relações com entidades locais e no desenvolvimento de redes e parcerias (locais, regionais e internacionais). De referir, por exemplo, o apoio do Centro na curadoria/programação da Galeria Trem (Faro), no Som Riscado – Festival de Música e Imagem (Loulé) e no Festival Internacional de Cinema e Literatura de Olhão; a relação de parceria com o MuseuZer0 (Tavira) e a iniciativa Open Studios (Faro).

Um dos objetivos do CIAC passa também pela construção de plataformas digitais que favorecem a divulgação artística e científica e, nesse sentido, em 2020, avançou-se com a criação dos websites de dois projetos: “INVITRO” e “Processos de Criação”. O primeiro, assumindo-se como um centro transdisciplinar para a investigação, desenvolvimento e experimentação de artefactos em Arte, Tecnologia e Ciência, resulta de uma parceria entre a Universidade Aberta, o CIAC e a Artech International. “INVITRO” é uma iniciativa na área das artes digitais e do pensamento e práticas transdisciplinares, que procura acolher, promover e capacitar artistas, investigadores e audiências. Para isso conta com um programa de residência internacional, um programa curatorial e um programa de workshops, mesas redondas e seminários. Já a coleção “Processos de Criação” nasce do intercâmbio entre o CIAC-UAlg e o Grupo de Pesquisa em Processos de Criação da PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Brasil). Os livros da coleção ressaltam a importância dos processos de criação, enquanto temática cada vez mais presente nas discussões artísticas contemporâneas; exploram os arquivos de criação, diluindo as fronteiras entre processo e obra; e resultam do olhar teórico da crítica de processo. De notar o seu grau de ineditismo num campo com pouca bibliografia em língua portuguesa.

Em 2020, as parcerias internacionais continuaram a ser alimentadas através de diferentes atividades, nomeadamente através do projeto europeu “Play Your Role: Gamification Against Hate Speech”. De referir que o projeto envolve instituições como Società Cooperativa Sociale Zaffiria (Itália), COSPE – Cooperazione per lo Sviluppo dei Paesi Emergenti ONLUS (Itália), VsI Edukaciniai Projektai (Lituânia), JFF – Institute for Media Education (Alemanha), Fundacja Nowoczesna Polska (Polónia) e Savoir Devenir (França). “Play Your Role” utiliza o forte potencial e atratividade dos videojogos para criar espaços de diálogo e desenvolver o pensamento crítico dos jovens, na luta contra o discurso de ódio online. Os videojogos surgem, assim, como um vetor pedagógico na abordagem de questões de discriminação, na partilha de ferramentas para lidar com conflitos e na promoção da cidadania junto dos adolescentes. O CIAC acolheu reuniões de preparação do projeto “Play Your Role” (janeiro); publicou, ao longo do ano, artigos sobre os resultados/conclusões da primeira fase do referido projeto (nomeadamente, em publicações internacionais como a revista “Comunicando” e o “Journal of Digital Media & Interaction”); e participou em encontros e conferências para a apresentação da iniciativa (“Academias Gulbenkian do Conhecimento”, “DIGICOM 2020” – International Conference on Digital Design & Communication”, “XIV Jornadas de Investigação CIAC”). Este ano, dadas as contingências decorrentes da pandemia, o encontro “Hackathon” (previsto para março, em Itália) foi adaptado e promoveram-se, em outubro, diversos eventos em formato online.

Para além disso, através do acolhimento de estâncias de investigação (sobretudo de investigadores provenientes de Espanha e Brasil), sob a supervisão dos membros do CIAC, continuaram a desenvolver-se parcerias e redes internacionais. Destas estâncias, ainda que algumas tivessem sido interrompidas pela pandemia, resultaram seminários e publicações sobre as áreas de atuação do Centro (nomeadamente sobre literacia mediática, webséries e publicidade no audiovisual).

De referir também a participação do CIAC no Conselho Europeu de Línguas (CEL). Trata-se de uma associação de Universidades, centros de língua, associações de profissionais na área das línguas (tradutores, revisores, intérpretes) que tem estruturado e coordenado projetos europeus e que se institui como plataforma de ligação com organismos europeus e outras associações/alianças. A envolvência do Centro contribuiu para a construção de uma rede de trabalho, com articulação internacional, direcionada para a terminologia científica e a comunicação de ciência.

Destacam-se, ainda, algumas das atividades que contribuíram para o alargamento das relações internacionais do Centro: o ciclo de conferências sobre a diversidade linguística “A Mesa Redonda das Línguas” (fevereiro), promovido pelo Centro de Estudos Galegos e apoiado pelo CIAC; a conferência “Besides The Screen” (julho), organizada pelo CIAC-ISMAI, CITEI – Instituto Universitário da Maia, Kings College London (Reino Unido) e POSCOM da Universidade Federal Espírito Santo (Brasil); a conversa “Longe é um lugar que não existe”, promovida pelo Instituto das Artes da Unicamp (Brasil) e que contou com investigadores do CIAC como oradores convidados; o ciclo “Diálogos Oblicuos: notas entre la arquitectura y otros campos” (novembro), resultado da parceria entre o CIAC e a Secretaría de Investigación de la Facultad de Arquitectura de UNC (Argentina); a participação do CIAC no “IV Ciclo de Conferencias y Seminarios de Formación para la Transferencia de Conocimiento” (novembro), a convite da Universidade de Alicante; entre outras.

Ainda no âmbito da divulgação científica, mas também fruto das relações com entidades internacionais, destaca-se a participação do filme “Cadavre Exquis” no File – Electronic Language International Festival (Brasil). Este projeto, com início em 2017 e que se desenvolveu em colaboração com a Universidade de São José (Macau), a produtora Art8Macau, a Creative Macau e o Instituto de Macau, é um filme interativo que permite, através da linguagem corporal, interagir com as personagens da narrativa. Em 2020, ao integrar o referido festival, contribuiu para a divulgação da investigação levada a cabo pelo CIAC sobre o filme interativo e as possibilidades de imersão do espectador.

Apesar do contexto pandémico, o CIAC apoiou e incentivou a participação dos seus investigadores em encontros e publicações nacionais e internacionais, perspetivando assim a disseminação dos trabalhos produzidos e a expansão do conhecimento científico.

O CIAC continuou a apostar na criação de plataformas digitais que favorecem a divulgação artística e científica, bem como o aprofundamento entre as artes e as tecnologias nos seus diversos aspetos. É nossa preocupação divulgar e promover o trabalho produzido: o website do centro está a ser reformulado tornando-se numa plataforma crossmedia, dinâmica e inovadora, que permite assegurar a divulgação de todos os trabalhos produzidos, estimulando a criação de novas linguagens artísticas e comunicacionais; fazemos uso dos meios disponíveis (redes sociais, plataformas, parcerias) para divulgar a produção do Centro como uma estratégia para responder ao primeiro objetivo que orienta o seu início: inovar a pesquisa no campo das artes e da comunicação e promover a produção e difusão de material, procurando uma verdadeira literacia das artes e dos média.

Recentemente, foi lançada a nova versão da plataforma do projeto romanceiro.pt. Esta plataforma pretende abrir o Arquivo do Romanceiro Português a um público não especializado, oferecendo ao utilizador, através de um website renovado (www.romanceiro.pt), novos recursos e novas ferramentas de pesquisa que lhe permitam um acesso direto e documentado às mais de 10.000 versões de romances da tradição oral portuguesa. Continuamos a desenvolver e alimentar as seguintes plataformas: Invitrolab (http://invitrolab.eu/), uma plataforma transdisciplinar para a arte, tecnologia e ciência que tem permitido apoiar a criação artística digital; a plataforma Os caminhos que se bifurcam (https://oscaminhosquesebifurcam.ciac.pt/), que tem promovido a dinamização de projetos de cinema interativo; a plataforma Ephemeral Expanded (http://www.ephemeral-expanded.net) que tem tornado possível a divulgação de expressões artísticas digitais efémeras.

Celebrámos em 2017 a realização da XI edição das Jornadas do CIAC, um momento de debate entre os investigadores do centro, que partilham, as suas pesquisas e resultados em temáticas associadas à comunicação, à cultura e às artes. Nesta XI edição, destacámos a organização de uma sessão temática dedicada aos jornais cinematográficos, que contou com a participação especial de investigadores internacionais e que permitiu trazer ao Algarve um momento sério de reflexão em torno deste tema, numa perspetiva internacional enriquecedora.

Na mesma linha de difusão de conhecimento, em dezembro de 2016, foi publicado o primeiro livro da Coleção Humanitas: Buñuel e o Surrealismo: a Arquitetura do Sonho, de Mirian Tavares. Esta coleção ensaística visa a divulgação dos resultados da investigação produzida neste centro, refletindo a saudável transversalidade caracterizadora da investigação do CIAC, que abarca as Artes, a Comunicação e a Cultura, as Letras e as Humanidades Digitais. Esta coleção espelha a desejável harmonia entre o estudo das novas linguagens, dos novos processos e métodos e a solidez de saberes que prolongam tradições teóricas e críticas.

Apostámos no fortalecimento das relações com centros de pesquisa em outras áreas de investigação e produção de conhecimento, estabelecendo protocolos com entidades locais, como o Centro Ciência Viva do Algarve, onde realizamos uma mostra de Arte Digital no âmbito do retiro do Doutoramento em Média-Arte Digital.

Têm sido executadas as tarefas previstas no âmbito dos projetos internacionais, em parceria com outras instituições, com financiamento externo, como o Projeto Erasmus , 4CDE (Code, Content, Creation and Culture for Digital Education) na área das competências digitais, que tem como principal objetivo alargar a oferta de recursos educacionais abertos para ajudar formadores e professores a aprender as noções básicas de TIC, nomeadamente através do uso artístico das tecnologias digitais; o projeto ChIMERA, financiado pelo Programa Interreg MED, cujo objetivo principal é melhorar as capacidades de inovação dos atores públicos e privados do sector da indústria cultural e criativa nas regiões participantes e na região mediterrânica, através do reforço da cooperação transnacional e das ligações entre empresas, organismos de investigação e autoridades públicas em setores-chave na região mediterrânica; o Projeto Telemedia -Arte, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, com o propósito de promover a melhoria do processo de ensino e aprendizagem artístico a distância online; o projeto Tutoria Virtual, com o objetivo de criar um mediador da aprendizagem no ensino superior online, desenvolvido pela Universidade Aberta, em parceria com a Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento em Lisboa, o Centro de Investigação em Artes e Comunicação e apoiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia; o Projeto M5SAR: MOBILE FIVE SENSES AUGMENTED REALITY SYSTEM FOR MUSEUMS, financiado pelo programa Portugal2020, CRESC Algarve 2020 I&DT; que visa desenvolver um sistema de realidade aumentada, concretizado numa plataforma e numa APP com o objetivo de explorar os 5 sentidos humanos.

O Curso de Doutoramento em Média-Arte Digital tem trazido CIAC novos investigadores que estão a desenvolver pesquisa na área da Média-Arte Digital, quer a partir do CIAC na Universidade Algarve, quer a partir do CIAC no polo da Universidade Aberta. É ainda de salientar que alguns dos projetos do Centro, que contemplam a fusão da investigação e das práticas artísticas, têm tido continuidade no período a que respeita este relatório, nomeadamente a programação de exposições na Galeria Trem, a programação de exposições no espaço das Ruínas de Milreu, em Estoi, a participação do CIAC na programação do Atalaia Artes Performativas, bem como na programação do “Projeto da nova arte de fazer ruínas”, acolhido pelo CIAC.

O CIAC tem acolhido vários investigadores de pós-doutoramento nacionais e internacionais, nomeadamente brasileiros, de universidades com as quais o CIAC mantém protocolos de intercâmbio.

Em 2015, da investigação realizada no CIAC salientamos os seguintes resultados: na linha da literacia, foram apresentadas na Cinemathèque Française as conclusões do projeto Framework for Film Literacy in Europe. Deste projeto resultou a implementação de diferentes plataformas europeias de literacia fílmica – PLF, entre as quais a de língua portuguesa albergada no sítio do CIAC, dando assim visibilidade aos trabalhos de Literacia Fílmica que se desenvolvem em Portugal, nomeadamente no campo da formação avançada e de base;  tiveram lugar as IX jornadas do CIAC, um momento de balanço e divulgação da investigação desenvolvida no Centro. Esta edição foi concebida para dar a conhecer algumas das investigações de mestrado e doutoramento em curso, no âmbito dos programas em Comunicação, Cultura e Artes da Universidade do Algarve e em Média-Arte Digital, uma oferta conjunta da UAlg e da Universidade Aberta. Também marcaram presença alunos de pós-doutoramento que desenvolvem investigação no CIAC, tanto os residentes como os de programas estrangeiros que levam a cabo estâncias investigacionais; na área das artes computacionais e media criativos arrancou o projeto INVITRO – Centre for Transdisciplinary Art & Tecnology que resulta de uma parceria entre a Universidade Aberta, o CIAC e a Artech International e tem como missão trabalhar para o desenvolvimento de artefactos tecnológicos baseados na intersecção inter, multi e transdisciplinar, colaboração entre sectores, inovação e pensamento criativo. Em 2015 foram concretizados programas de residência internacional, um programa curatorial e um programa público de workshops, mesas redondas e seminários; no grupo de investigação Texto & Cena, além de inúmeras publicações na linha de produção de pensamento crítico, pesquisa aplicada e bibliografia especializada no contexto da escrita para a cena de teatro e teatro e comunidade, salienta-se o projeto “Dramas de Princesas. A Morte e a Donzela” coordenado por Alexandre Calado. No âmbito deste projeto foram traduzidos textos inéditos da escritora austríaca Elfriede Jelinek, bem como realizaram-se residências artísticas, ações de Formação, Colóquios e vários espetáculos, em Almada, em Lisboa, em Torres Vedras e em Palmela. A Peste – Associação de Pesquisa Teatral/Laboratório de Teatro e Artes Performativas apresentou o espetáculo Na Leprosaria, uma criação coletiva a partir de textos de poetas portugueses contemporâneos; foi concluído o projeto “Os caminhos que se bifurcam”, do qual resultou a criação de uma patente ligada ao cinema interativo. Deste projeto resultou ainda a criação de uma plataforma de cinema digital, dois filmes interativos (Neblina e O Livro dos Mortos), apresentados em vários festivais nacionais e internacionais, dos quais destacamos o Festival Internacional de Cinema de Avanca e o Festival Internacional de Arte Eletrônica – File 2015, em São Paulo, no Brasil. Foram publicados artigos, em revistas científicas nacionais e internacionais, e apresentadas comunicações em Congressos; foi disponibilizada a plataforma do projeto “Ephemeral Expanded” com o objetivo de desenvolver investigação teórica e prática e contribuir para a construção da futura memória das artes efémeras. Além da plataforma, realizaram-se aulas abertas sobre práticas efémeras e as suas teorias;
teve lugar a 7ª Conferência Internacional sobre Artes Digitais – ARTECH 2015, organizada pela Universidade Aberta, pela ARTECH International e pelo CIAC; promovemos ainda vários seminários e conferências. Destacamos o seminário “Las humanidades digitales ante el discurso disruptivo: el impacto de la tecnología y la cultura digital en la investigación”, com Paul Spence, professor de Humanidades Digitais do King´s College, com o objetivo de promover a discussão em torno das humanidades digitais, bem como abrir novas perspetivas de trabalho colaborativo entre os investigadores do CIAC e do King´s College; a Conferência “1946-1976: O Cinema da Europa Mediterrânea do Pós-Guerra à Queda das Ditaduras” e a conferência “Flâneur – Novas Narrativas Urbanas”, em parceria com a Procur.arte, a DINÂMIA’CET/ISCTE e o Instituto de História da Arte/UNL. Esta conferência marcou o momento de lançamento ao público do projeto Flanêur – projeto de arte no espaço público, tendo por base a fotografia contemporânea, o território urbano e o trabalho em rede;
em 2015, a parceria entre a Câmara Municipal de Faro e o CIAC foi continuada com sucesso, através de várias exposições na galeria TREM, das quais destacamos: “Arte: Um Assunto de Mulheres”, “gabinete > gregório” de Pedro Saraiva; “Ridi Pagliaccio” de Pedro Cabrita Reis na Galeria e “3285 dias”, organizada pelos professores/artistas do Curso de Artes Visuais; o Ciclo de Artes Visuais prosseguiu em 2015, mantendo o objetivo de promover um diálogo entre artistas, agentes culturais e comunidade académica;
ainda relativamente a parcerias e projetos regionais, destacamos a concretização da exposição, “Ruínas”, resultante do protocolo entre o CIAC e a Direção Regional de Cultura do Algarve (DRCAlg) para o desenvolvimento conjunto da programação de exposições na Casa Rural das Ruínas Romanas de Milreu, localizadas junto à aldeia de Estói (Faro). Esta importante parceria tem como objetivo dinamizar a interação entre as comunidades académica e local, estimulando diálogos entre arte e património cultural da região;
o CIAC esteve presente na Noite Europeia dos Investigadores, divulgando alguns dos projetos mais inovadores do Centro e participou, pelo segundo ano consecutivo, na II Mostra de Projetos de Ciência e Tecnologia, em Tavira, inserida na Semana da Ciência e da Tecnologia, em parceria com o Centro de Ciência Viva;
no âmbito do grupo de investigação “Arquivo e memória” foi coordenado e publicado o livro Miscelánea de estudios sobre el romancero. Homenaje a Giuseppe Di Stefano, em parceria com a Universidade de Sevilha.

Em 2014, o CIAC fortaleceu a sua vertente de investigação na área das artes digitais, quer através da criação de um polo na Universidade Aberta que sedia o DMAD – Doutoramento em Media-Arte Digital, quer com a integração de investigadores do ISMAI e da UAb que trabalham nas áreas híbridas da produção de conteúdos e de investigação em e para plataformas digitais. Na sua terceira edição, o DMAD promoveu dois retiros doutorais, nos meses de julho de 2013 e de 2014, nos quais foram realizadas master classes, exposições de arte digital e defesas de projetos de teses inovadores nesta área. Está a ser criado um laboratório em média-arte digital, com o apoio da Universidade de Stanford, no polo CIAC/Universidade Aberta e alguns investigadores/artistas têm produzido exposições e participado de festivais internacionais e eventos que promovem e refletem sobre a criação artística contemporânea mediada pelas novas tecnologias.

Foram potenciadas as redes internacionais de investigação, através das parcerias com a Universidade Autónoma de Barcelona, Universidade Complutense de Madrid, Universidade de Huelva, Universidade de Sevilha, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal do Ceará, Universidade Federal da Bahia, Universidade de São Paulo, Universidade Anhembi Morumbi e mais recentemente a Universidade Federal de Juiz de Fora. O CIAC prosseguiu com a organização de eventos de cariz científico na área das artes e da comunicação, dos quais são exemplo: VII Artech International Conference on Digital Arts; Artes e Ciências em Diálogo; A Peregrinação; Sailing in Troubled Waters e o IV Encontro Anual da AIM (coorganização). Ciclo de Palestras: Mestres e Discípulos nas Artes, nas Ciências, nas Humanidades; Livro: passado, presente e futuro e o IV e o V Ciclo de Artes Visuais. Workshops: 1º e o 2º WEO – Workshop em Ensino Online, Ciclo de workshops em Dança Somática e Tecnológica. Seminários / Master classes: European Theatre seen from the North; Literacia de la violencia de género en medios de comunicación; Cultura 2020 – Seminário Património e Território. Simpósio Corporalidades Pós-Humanas. Exposições: As coisas que não existem são mais bonitas, Mapland; Pedro Cabral Santo – Barba Azul a Preto e Branco; Privado; Devorar e não digerir; Desenhos – Manuel Baptista; RAUM: Residências Artísticas Online; 3265 dias; Edgar Massul – #Other Free Works; Rudolfo Quintas – EVERYTHING WE HEAR AND MANY THINGS WE DON´T; VII Mostra de Arte Contemporânea (Universidade Federal Fluminense/CIAC).

Dando continuidade ao projeto das Jornadas do CIAC, momento único de troca de experiências e de reflexões entre os membros integrados e colaboradores do CIAC e a comunidade, realizaram-se quatro jornadas, três em Faro e uma em Lisboa, na ESTC. As atas foram disponibilizadas online no website do Centro.

Finalizamos o Projeto RECARDI – Rede de Cultura e Arte Digital (Aprovado pela Agência de Inovação ao abrigo do QREN). Tratou-se de um projeto em consórcio liderado pela empresa EDIGMA.COM, em parceria da Universidade Aberta e das seguintes entidades:  Metatheke, Centro de Computação Gráfica, Universidade Aberta, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Universidade de Coimbra e CIAC/Universidade do Algarve. O projeto “O Arquivo do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna (1828-2010): sua preservação e difusão”, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, está em fase de conclusão e o Projeto desenvolvido com o British Film Institute, “Showing films and other audiovisual content in European schools  – Obstacles and best practices”, financiado pela the European Commission, apresentou os resultados 2013, através de uma publicação difundida na página do BFI.

Em geral, foram cumpridos todos os objetivos e indicadores a que o CIAC se propôs ao longo de 2014 apresentando os seguintes resultados:

  • Foram estabelecidas diversas relações nacionais e internacionais, nomeadamente através de parcerias/protocolos com as seguintes entidades: Centro de Ciência Viva do Algarve, Fundação EDP, CRIA – Centro Regional para a Inovação no Algarve, Oficina Bartolomeu dos Santos, Fundação Manuel Viegas Guerreiro, Biblioteca Municipal de Faro, Biblioteca Municipal de Tavira, Algarve Film Comission, Associação Cultural “Ar Quente”, CHAIA – Centro de História de Arte e Investigação Artística, Associação de Músicos do Algarve; Museu Municipal de Faro; Câmara Municipal de Loulé e de Faro. A nível internacional, foram estabelecidas as seguintes parcerias: British Film Institut; Universidade de Lund, Universidade de Stanford, Universidade Complutense de Madrid, Universidade Federal Fluminense, Universidade Autónoma de Barcelona, Universidade Europeia de Madrid, Fundação António Machado, Fundação Menendéz Pídal e Grupo de Humanidades Digitais Hispânicas (HDH). Destes destacamos a colaboração com a Fundação Menendéz Pidal, que resultou na aprovação de um projeto financiado em Espanha, com a participação de investigadores do CIAC e que dá continuidade ao projeto desenvolvido no Centro com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian na área do Romanceiro Ibérico.
  • Foram organizados eventos científicos de relevo na área das artes e da comunicação, entre eles: Colóquios Internacionais: VII Artech International Conference on Digital Arts; Artes e Ciências em Diálogo; A Peregrinação; Sailing in Troubled Waters e o IV Encontro Anual da AIM (coorganização). Ciclo de Palestras: Mestres e Discípulos nas Artes, nas Ciências, nas Humanidades; Livro: passado, presente e futuro e o IV e o V Ciclo de Artes Visuais. Workshops: 1º e o 2º WEO – Workshop em Ensino Online, Workshop Cultura Low Cost para tempos de crise; Projeto RECARDI; Ciclo de workshops em Dança Somática e Tecnológica. Ciclo de aulas abertas Serviço Público de Rádio e Televisão em Portugal – Quais os Caminhos. Seminários: Transferências de Temas, Discursos e Linguagens entre o Cinema e a Publicidade; European Theatre seen from the North; Literacia de la violencia de género en medios de comunicación; Cultura 2020 – Seminário Património e Território; Masterclass O Neo-Realismo Italiano. Simpósio Corporalidades Pós-Humanas. Jornadas do CIAC VI, VII e VIII; Jornadas da Revista Verónica. Exposições: A branco e preto; Conselhos Úteis para evitar magoar doentes com esquizofrenia; A Tentação da Imortalidade; Impróprio para Consumo; Play; TAO; As coisas que não existem são mais bonitas, Mapland; Pedro Cabral Santo – Barba Azul a Preto e Branco; Privado; Devorar e não digerir; Desenhos – Manuel Baptista; RAUM: Residências Artísticas Online; 3265 dias; Edgar Massul – #Other Free Works; Pedro Cabral Santo Unconditionally; Rudolfo Quintas – EVERYTHING WE HEAR AND MANY THINGS WE DON´T; VII Mostra de Arte Contemporânea (Universidade Federal Fluminense/CIAC. Conferências: I Conferência Internacional Urban Interventions; Massimo Canevacci – Etnografia Digital (ou Sincretika Digitalia); A turbulência das emoções; O Western: perspectivas sobre um género; Imaginar o Fim do Mundo; Que palco para os clássicos?
  • Foram fortalecidos os meios de comunicação do CIAC nomeadamente através do desenvolvimento e alimentação de páginas nas redes sociais (Facebook, Twitter, Linkedin, Youtube) e da associação a sites de divulgação de eventos (Viral Agenda).
  • Alguns projetos do CIAC conseguiram financiamento externo através de outras entidades, nomeadamente o projeto “O Arquivo do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna (1828-2010): sua preservação e difusão”, aprovado pela Fundação Calouste Gulbenkian e o Projeto RECARDI – Rede de Cultura e Arte Digital (Aprovado pela Agência de Inovação ao abrigo do QREN).

Publicamos mais de 150 artigos, sendo que a maior parte foi publicada em revistas indexadas. Entre exposições, espetáculos, vídeos, performances, o CIAC promoveu, apoiou ou participou da realização de um total de 161 produções artísticas.

No ano de 2013, o CIAC apresentou os seguintes resultados:

  • Foram estabelecidas diversas relações nacionais e internacionais, nomeadamente através de parcerias/protocolos com as seguintes entidades: Centro de Ciência Viva do Algarve, Fundação EDP, CRIA – Centro Regional para a Inovação no Algarve, Oficina Bartolomeu Santos, Fundação Manuel Viegas Guerreiro, Biblioteca Municipal de Faro, Biblioteca Municipal de Tavira, Algarve Film Comission, Associação Cultural “Ar Quente”, CHAIA – Centro de História de Arte e Investigação Artística, Associação de Músicos do Algarve. A nível internacional foram estabelecidas as seguintes parcerias: Universidade de Lund, Universidade de Stanford, Universidade Complutense de Madrid, Universidade Federal Fluminense, Universidade Autónoma de Barcelona, Universidade Europeia de Madrid, Fundação António Machado, Fundação Menendéz Pídal e Grupo de Humanidades Digitais Hispânicas (HDH).
  • A linha editorial do CIAC foi desenvolvida, através da Coleção “Artes e Media”, com a publicação do livro “Novas & Velhas Tendências no Cinema Português Contemporâneo” e o lançamento de mais um volume da coleção multimédia “CIAC FILES” – o documentário “Um Filme Português”.
  • Foram organizados eventos científicos de revelo na área das artes e da comunicação, entre eles: IV Ciclo de Artes Visuais, I Colóquio Internacional “Artes e Ciências em Diálogo”, Conferência Universidade e Democracia, Curso Livre “Revisitar o Canto de Intervenção”, Exposição “A branco e preto”, Exposição “Conselhos Úteis para evitar magoar doentes com esquizofrenia”, Exposição “A Tentação da Imortalidade”, Exposição “Impróprio para Consumo”, Exposição “Play”, Exposição “TAO”, Exposição “As coisas que não existem são mais bonitas”, VII Mostra de Arte Contemporânea, Conferência “O Western: perspectivas sobre um género”, Conferência “Imaginar o Fim do Mundo”, Conferência “Que palco para os clássicos?”, Ciclo de Gravura Contemporânea – Réplica, Seminário “European Theatre seen from North”, I Conferência Internacional “Urban Interventions”, VI Jornadas de Investigação do CIAC, WEO – Workshop em Ensino Online 2013, Workshop Cultura Low Cost para tempos de crise.
  • Foram fortalecidos os meios de comunicação do CIAC nomeadamente através do desenvolvimento e alimentação de páginas nas redes sociais (Facebook, Twitter, Linkedin, Meo Kanal) e da associação a sites de divulgação de eventos (Viral Agenda).
  • Alguns projetos do CIAC conseguiram financiamento externo através de outras entidades, nomeadamente o projeto “O Arquivo do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna (1828-2010): sua preservação e difusão”, aprovado pela Fundação Calouste Gulbenkian.
  • Foram publicados um total de 24 artigos, entre eles artigos com peer-review, indexados nas principais bases de dados da área – SCIELO e LatINDEX.
  • O CIAC foi um dos parceiros do British Film Institute no estudo europeu “Film Literacy in Europe”.
  • Foi desenvolvido o projeto RECARDI, projeto internacional integrado pelo CIAC que tem como objetivo criar, disseminar e expandir uma rede de excelência nacional na área da arte da cultura digitais através da criação de uma plataforma de disseminação do conhecimento. O projeto foi ainda apresentado, ao longo de 2013, em diversos locais e eventos científicos.
  • O Doutoramento em Média-Arte Digital, um dos cursos de formação avançada associados ao CIAC, realizou em julho de 2013 um retiro doutoral em Óbidos no qual foram realizadas diversas intervenções artísticas digitais nos espaços da cidade, dando lugar à produção de diversos artefactos digitais.

Em 2012 os principais resultados da investigação realizada no CIAC foram os seguintes: ao nível da internacionalização do Centro foi organizada a 6ª edição da ARTECH- Conferência Internacional em Artes Digitais que reuniu mais de 100 participantes em torno da cultura digital e da sua intersecção com a arte e a tecnologia. Também a IV International Academic Conference of Analytical Psycology and Jungian Studies foi coorganizada pelo Centro, servindo de plataforma de contacto com estudiosos de diversas áreas do saber ligados às universidades.

Num outro âmbito foi também prolongada a colaboração da coordenadora do CIAC, na condição de consultora, e do coordenador da linha de Estudos Fílmicos, na condição de especialista, no EU Film Literacy Tender Bid, projeto europeu coordenado pelo British Film Institute.

A promoção de eventos artísticos afirmou-se, este ano, como uma aposta com a organização das exposições “Pollitically Excited”, “É perigoso olhar para dentro” e com a continuação do bem sucedido “Ciclo de Artes Visuais”, que visou dar a conhecer trabalhos dos alunos finalistas do curso de Artes Visuais. As mencionadas exposições resultam de um protocolo com a Galeria Trem (Município de Faro) cabendo ao CIAC a promoção dos eventos e ficando a programação da galeria de arte a cargo do curso de Artes Visuais da Universidade do Algarve.

Na área do Teatro, foram levados à cena no âmbito do CIAC dois espetáculos de investigação teatral pelo grupo de teatro “A Peste” e realizaram-se as I Jornadas do Teatro Amador do Algarve.

Ainda no que respeita ao estabelecimento de parcerias, foram organizados o LUSODOC – Mostra de Cinema Documental de Loulé (com o Município de Loulé) e o Colóquio Narração Oral Hoje, em parceria com o IELT – Instituto de Estudos de Literatura Tradicional, da Universidade Nova de Lisboa. Foi ainda assinado um protocolo com o Observatório Político – Associação de Investigação e Estudos Políticos.

Como meio de divulgar a investigação desenvolvida no seio do Centro, o CIAC organizou as IV e V Jornadas do CIAC e as Jornadas da Revista Verónica.
A linha editorial do CIAC foi também fortalecida com o lançamento do livro “A Escola de Teatro do Conservatório (1839-1901) – Contributo para uma História do Conservatório de Lisboa”, na coleção Artes e Media, da Gradiva, partindo da investigação de Eugénia Vasques sobre a escrita para teatro.

Ao nível de produção de conteúdos foi lançado em DVD, como resultado do projeto The Main Trends, financiado pela FCT, o documentário “Um Filme Português”.

Este ano foi também lançada a coleção de DVD “Ciac Files” que reúne os registos de vídeo de alguns dos principais eventos organizados pelo Centro, com o principal objetivo de tornar a investigação produzida no Centro mais acessível ao público.

Adicionalmente estabeleceu-se e iniciou atividade um projeto de consórcio, o “Recardi”, que propõe uma estreita relação entre academia e empresas, tendo como objetivo central o desenvolvimento de uma plataforma com funcionalidades de criação (colaborativa) digital em rede, de exibição virtual, de ensino e treino online.

Objetivos Atingidos no biénio 2011/2012:

  • Foram criados diversos laboratórios de criação e ensino artístico: nomeadamente o laboratório de estudos teatrais, o laboratório de estudos fílmicos e o laboratório de produção audiovisual.
  • Foram desenvolvidas e potenciadas as redes de investigação, captando o CIAC diversas parcerias/protocolos, entre eles: Universidade Autónoma de Barcelona, Universidade Complutense de Madrid, Universidade de Huelva, Universidade de Sevilha, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal do Ceará, Universidade Federal da Bahia, Universidade de São Paulo, Universidade Anhembi Morumbi.
  • Foi desenvolvida a linha editorial do CIAC através da Colecção Artes e Media, uma colecção que resulta de um protocolo entre o CIAC e a editora Gradiva e que tem como principal objectivo revitalizar os estudos nas áreas das manifestações artísticas, sobretudo no que diz respeito às relações com os media. O primeiro livro publicado foi “Nas margens. Ensaios sobre teatro, cinema e meios digitais”, organizado por Gabriela Borges, que visa estabelecer um diálogo e uma reflexão entre as principais linhas de investigação do CIAC: teatro, cinema e novos media.
  • O CIAC prosseguiu com a organização de eventos de cariz científico na área das artes e da comunicação, dos quais são exemplo: Artech 2012 – 6th Conferência Internacional em Artes Digitais, 2º Colóquio Internacional “Narração Oral Hoje”, Seminário Internacional “Estudos de Televisão: diálogos Portugal-Brasil”, Simpósio Internacional “Interactive-non-Interactive: videogame meets video art”, as exposições “Pollitically Excited”, “É perigoso olhar para dentro”, “As coisas que não existem são mais bonitas”, “a branco e preto” e com a continuação do bem sucedido “Ciclo de Artes Visuais”.
  • O CIAC promoveu ainda novos canais de comunicação da investigação realizada no Centro, nomeadamente através da criação de um website do Centro (www.ciac.pt), marcação de presença nas redes sociais (Facebook, Twitter, Meo Kanal) e da criação de uma plataforma crossmedia (www.crossmediaplatform.ciac.pt) para divulgação da produção artística e científica do Centro.
  • O CIAC expandiu ainda a sua oferta ao nível da formação avançada, contando atualmente com os seguintes cursos: Doutoramento em Média-Arte Digital (em parceria com a Universidade Aberta); Doutoramento em Comunicação, Cultura e Artes; Mestrado em Comunicação, Cultura e Artes; Mestrado em Teatro (em parceria com a Escola Superior de Teatro e Cinema); Mestrado em Desenvolvimento de Projeto Cinematográfico (em parceria com a Escola Superior de Teatro e Cinema) e a Pós-Graduação em Artes Visuais e Performativas.

Em 2011, da investigação realizada no CIAC devem salientar-se os seguintes resultados: o projeto The Main Trends, financiado pela FCT, editou um livro online, para fins educativos e realizou um documentário que estreou no Festival DOC Lisboa 2011. A parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian no Projeto Próximo Futuro continuará por mais 3 anos e o Centro passou a integrar, no âmbito deste projeto, o Observatório de África e da América Latina. A coordenadora do CIAC e o coordenador da linha de Estudos Fílmicos participam, como parceiros de investigação e consultores, no EU Film Literacy Tender Bid, projeto europeu coordenado pelo British Film Institute.

Na linha da literacia dos Media, o CIAC organizou um painel com a participação de investigadores integrados e jovens investigadores no I Congresso Nacional Literacia, Media e Cidadania, na Universidade do Minho. O I Encontro Internacional da AIM – Associação dos Investigadores Imagem em Movimento, foi coorganizado pelo CIAC e realizou-se na UAlg. Na vertente da internacionalização, foram organizados o Simpósio Internacional Interactive-non-interactive: videogame meets vídeo Art e o Seminário Internacional Estudos de Televisão, uma parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro e a Globo Universidade. A Plataforma digital para a divulgação da produção artística e científica do CIAC ficou online, dando continuidade ao projeto com a Universidad Complutense de Madrid.

No plano dos estudos pós-graduados, o CIAC participou da criação do Doutoramento em Média e Artes Digitais, acreditado pela A3S, cuja primeira edição foi a de 2012-2015 e associou-se ao Doutoramento em Património de Influência Portuguesa, do CES/Universidade de Coimbra no âmbito da Cátedra Odebrecht-Capistrano de Abreu, sediada no CIAC. Em parceria com o curso de Artes Visuais da UAlg, foi organizado um Ciclo de Artes Visuais que contou com a presença de galeristas, curadores e artistas nacionais e internacionais com continuidade em 2012. Na área do Teatro foi organizado o I Encontro de Escritas de Cena, na ESTC, em parceria com a Universidade Católica de Lisboa.